A Proporção “mágica” de 5 para 1 no casamento

Algumas pessoas que leram o post sobre “Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse” vieram me perguntar, por meio de direct message, que história era aquela de prever quando e se um casal vai se separar. E eu respondi enfatizando que isso é possível porque muito já se descobriu sobre relação conjugal por meio de observações diretas do comportamento, definição de classes comportamentais funcionais e disfuncionais nos relacionamentos conjugais e a relação disso com manutenção ou finalização do casamento.

Falando um pouco mais sobre essas descobertas, sabemos que a diferença entre casais felizes e casais infelizes passa pelo balanço entre interações positivas e interações negativas durante o conflito. Há, inclusive, uma razão, uma proporção específica que permite que o amor dure. Essa proporção “mágica” é 5 para 1. Isso significa que, para cada interação negativa durante o conflito, um casamento estável e feliz conta com cinco, ou mais, interações positivas.

Segundo os pesquisadores, quando os mestres do casamento estão conversando sobre algo importante, eles podem estar, ao mesmo tempo rindo, expressando afeto, estimulando um ao outro e mantendo conexão emocional. Do outro lado, os desastres do casamento tendem a se engajar em menos interações positivas. Eles se concentram mais nas críticas, no comportamento defensivo, no desrespeito, no desprezo e na obstrução, conforme descritos nos posts anteriores.
Por que é tão difícil manter uma discussão ou conflitar sem manter o foco primeiro na relação? A manutenção da qualidade no convívio não deveria ser prioridade?
E, você, que tal conflitar expressando afeto, cuidado com seu parceiro(a) e foco no seu casamento?

Por Fábio Caló, psicólogo.

Share

Comente!