Concursos: uma questão de estratégia

Uma questão de estratégia Concursos realizados pelo Cespe/UnB: Polícia Federal (PF), Ministério Público da União (MPU), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Câmara dos Deputados, Ministério da Justiça (MJ), Instituto Rio Branco (IRBr), entre outros.

Para o psicólogo Fábio Caló, o nervosismo pré-prova pode colocar tudo a perder: 'A disputa é contra o tempo' (Fotos: Raimundo Sampaio/Encontro/D.A Press)

Para o psicólogo Fábio Caló, o nervosismo pré-prova pode colocar tudo a perder: “A disputa é contra o tempo”

Você, seu maior adversário E não são apenas as provas que costumam aterrorizar os candidatos. Um dos maiores inimigos dos concurseiros, que pode colocar em xeque os planos de bons salários e estabilidade, está fora dos livros e dentro da cabeça: o nervosismo pré-prova. “Muitos candidatos, embora estejam preparados por terem acumulado os conhecimentos necessários, não conseguem manter a tranquilidade e poder de concentração. Cabe ressaltar que, durante o concurso público, a disputa é contra o tempo, contra a dificuldade em compreender questões muito bem elaboradas por professores experientes e contra os concorrentes, alguns dos quais tão bem preparados ou mais bem preparados do que o concursando”, afirma o psicólogo Fábio Caló. Para o profissional, pensamentos negativos durante os estudos ou na hora da prova devem ser suprimidos, pois só prejudicam o pleno desempenho das faculdades mentais do concurseiro. “O candidato deve tentar se manter focado no que fez, para ser aprovado no concurso, na premissa de que, como qualquer candidato, ele pode ser ou não aprovado e que outros editais compatíveis com o que ele deseja serão abertos.” Segundo Caló, buscar atividades relaxantes para o corpo e para mente antes da prova – como alongamentos, ioga, massagens e atividades físicas aeróbicas – é imprescindível para enfrentar a tarefa com tranquilidade e confiança.

Fonte: http://sites.correioweb.com.br/

Share
Share

Comente!





× Como posso te ajudar?