Assertividade, o que você está disposto a fazer para desenvolvê-la?

Assertividade, de forma resumida, diz respeito à habilidade de se afirmar nas relações interpessoais. Um bom exemplo para ilustrar essa habilidade seria aquele da situação em que você recebe o contato do operador de telemarketing de uma editora conhecida, que pretende vender a você assinaturas de revistas, as quais não te interessam e você diz sem titubear: – “Não, muito obrigado. Não estou interessado!” Esse exemplo, que não foi escolhido aleatoriamente, apresenta uma das dificuldades mais comuns quando o assunto é ser assertivo, a dificuldade em dizer prontamente o “‘não”.

Na última terça-feira, ministrei uma palestra intitulada “Aprenda a dizer “não” sem culpa!” e percebi o quanto as pessoas estão interessadas nesse tema. O público inscrito para a palestra compareceu em peso, lotou o espaço reservado para palestras da FNAC em Brasília e boas foram as perguntas e os comentários feitos ao final da minha apresentação.

Contudo, notei que embora interessadas no tema, nem sempre essas pessoas têm investido o quanto deveriam para desenvolver a habilidade que suas histórias de vida não modelaram adequadamente. Percebo que as pessoas, nas suas colocações, revelam o longo tempo em que a falta de assertividade as acompanha, mas não vejo o relato da busca constante, seja por leituras especializadas, por cursos na área ou até mesmo por psicoterapia. De artigos na internet até profissionais altamente especializados no assunto, teríamos um amplo leque de oportunidades para ampliar as habilidades assertivas. Acredito que dedicar tempo e dinheiro à própria assertividade oportunizaria a essas pessoas ganhos consideráveis nas suas relações interpessoais e, mais que isso, ganhos na qualidade de vida. Se eu pudesse repetir algo que disse durante a minha apresentação, diria: Façam algo por vocês mesmos! Busquem os meios necessários para desenvolver a assertividade que está dentro de vocês!

Share

Comente!