Quem precisa de psicoterapia?

Psicoterapia

psicoterapia

A psicoterapia é o tratamento realizado em consultório, com diversas abordagens terapêuticas.

Mário Quintana disse uma vez que “o pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso”.

Aliás, há alguém sensível a esse contexto: o psicoterapeuta. Profissional habilitado para realizar intervenções no âmbito comportamental, cognitivo e afetivo. Visando a uma melhor adaptação das pessoas no ambiente em que elas vivem e melhoria da qualidade de vida.

Tratamento clínico

No que se refere ao tratamento clínico, a psicoterapia apresenta várias formatações, dependendo do público atendido e da demanda.

Ela pode ser individual (abrangendo as diversas faixas etárias), de casal, familiar ou grupal. Pode, ainda, acontecer na modalidade tradicional (nosetting clínico) ou no ambiente natural do paciente, como o domicílio.

Para que haja o tratamento, é necessária a demanda espontânea, ou seja, a pessoa precisa verificar a necessidade de ajuda profissional diante de algum problema. Especialmente, no caso das crianças e adolescentes. A demanda surge através da família, que constata a necessidade e os encaminha para o consultório.

Lidamos com vários problemas diariamente, alguns deles com sucesso, outros não. Alguns desses problemas podem ser súbitos, mas também, podem ocorrer situações em que tais dificuldades são antigas, repercutindo no presente. Por exemplo, um adulto com transtorno do pânico pode ter sido uma criança que reagia com excesso de ansiedade em situações cotidianas.

Para que um comportamento seja considerado problemático, fazendo com que seja necessário o acompanhamento com um psicoterapeuta, é necessário que este repercuta negativamente em algum âmbito de sua vida ou para outros que o rodeiam.

A socialização; o desempenho acadêmico; o humor; o relacionamento afetivo e sexual; a autoestima; a produtividade; o clima familiar e a qualidade de vida são alguns âmbitos que podem ser afetados por comportamentos desadaptativos.

Entretanto, o comportamento, como se apresenta hoje, é fruto de um processo histórico de aprendizagem. Nesse sentido, pessoas possuem contribuição direta e indireta, assim como determinados ambientes.

Dessa forma, se comportar de forma similar ao cuidador é vista pelo psicólogo como comportamentos aprendidos através da convivência. E mesmo as condições genéticas são consideradas sobretudo através da interação com o meio.

O Psicólogo Clínico

O psicólogo clínico pode atuar em outras atividades correlatas no consultório, como avaliação comportamental, orientação,  profissional, treinamento parental, dentre outros.

Psicologia Comportamental

A Psicologia Comportamental também aborda a funcionalidade dos comportamentos, o que quer dizer que, por mais esdrúxulo que seja um comportamento, ele tem uma função na vida daquela pessoa por conta dos efeitos que causa no seu ambiente.

Cabe destacar que conceber o comportamento como funcional não significa que este não possa ser modificado por padrões que sejam mais adaptativos ou que causem menos sofrimento.

Muitos dos problemas comportamentais apresentados por adultos têm origem na infância ou adolescência. Estes podem ser evitados a partir de uma abordagem terapêutica preventiva ainda quando crianças.

Na avaliação comportamental, verifica-se sobretudo quais comportamentos a pessoa apresenta em excesso e quais ele emite de modo deficitário . Avalia-se também o contexto de ocorrência dos comportamentos-alvo e os efeitos disso ao executá-lo, quais variáveis históricas são responsáveis pela ocorrência dos mesmos, assim como quais as condições atuais os mantém.

Outros pontos para a análise são: o prejuízo que tais padrões tem ocasionado à adequação social e ao bem-estar biopsicossocial, quais emoções acompanham os contextos em que os comportamentos ocorrem, estratégias utilizadas anteriormente, além dos históricos familiares, sociais, educacionais, afetivo-sexuais e médicos.

A mudança comportamental poderá variar quanto mais rígidos forem os padrões a serem modificados. Porém, os resultados virão proporcionalmente ao tratamento, sendo mantidos a partir do momento em que o sujeito dominará o controle de sua própria vida.

A psicoterapia e a qualidade de vida

No entanto, a abordagem preventiva também é válida. Se são observadas situações que poderiam favorecer o surgimento de comportamentos de risco (como casos de saúde mental, ambiente violento, excesso de exposição a situações aversivas, predisposição genética), o psicólogo pode atuar de forma preventiva com o cliente, de modo a desenvolver repertórios que possam enfraquecer a probabilidade dessa influência ambiental.

A psicoterapia também é destinada para a promoção da qualidade de vida, para a prevenção de agravos à saúde mental e também para desenvolver o autoconhecimento. Cabe destacar que este é um dos objetivos intrínsecos ao processo psicoterápico. Pois será necessário que o paciente desenvolva a percepção, que monitore os eventos, que exerça o raciocínio acerca dos comportamentos-alvo, entre outros.

Ressalta-se, ainda, que é necessário haver motivação para o tratamento, postura ativa do cliente (engajamento nas propostas do terapeuta, como as tarefas de casa e demais orientações). Ou da família no processo terapêutico (sobretudo quando se trata de infantes e adolescentes).

Avaliação Psiquiátrica

Em alguns casos será necessária uma avaliação psiquiátrica para avaliar possibilidade de medicação. Pesquisas têm mostrado melhor prognóstico quando se associa psicoterapia à medicação do que quando há somente uma das opções.

Além disso, ainda que o sujeito esteja fazendo uso de alguma medicação psiquiátrica, cabe destacar que os problemas continuarão lá: a medicação ajudará em nível físico (equilibrando o humor, diminuindo a ansiedade, entre outros efeitos). Mas não implementará novos repertórios no enfrentamento de problemas cotidianos. Isto, no entanto, pode ser atingido com ajuda de um processo psicoterápico.

Inpa

Evite a procrastinação da resolução do problema, considerando a possibilidade de se submeter a um tratamento com profissional de sua confiança. Assim, o prognóstico será mais favorável no restabelecimento da qualidade de vida e, com isso, não só o paciente apresentará ganhos, mas toda a sua família.

O Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Brasília oferece psicoterapia individual que é uma alternativa para o tratamento psicoterapeútico. Por isso, entre em contato e marque uma consulta. Fone: (61) 3242-1153

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil

Share

Comente!





× Quer agendar a sua consulta?