Quais as características de um bom psicólogo?

bom-psicólogo

A Psicologia é a ciência que estuda o comportamento, como sendo o que uma pessoa faz, o que diz, o que pensa e o que sente.

Assim, comportamento é o foco do psicólogo.

E cabe dizer que acessar o comportamento do outro não é algo tão simples como possa parecer.

Por isso, para ser um bom psicólogo, independentemente da escola ou abordagem teórico-conceitual que seja seguida, é preciso ter uma série de características e habilidades fundamentais.

Psicologia é um campo de estudo muito amplo e extenso, que requer uma formação bastante específica e especializada e o desenvolvimento de habilidades profissionais e pessoais diferenciadas.

Dentre as principais características de um psicólogo, estão as habilidades de:  manter sigilo profissional sobre os assuntos tratados em consultório; respeitar os limites da atuação; possuir e demonstrar capacidade de raciocínio abstrato; manter imparcialidade; ouvir ativamente; contornar situações adversas; e revelar empatia.

Para atuar como psicólogo no Brasil é preciso concluir o curso superior em Psicologia e estar devidamente registrado no Conselho Regional de Psicologia (CRP) da sua cidade/estado.

Além disso, é importante ressaltar que o psicólogo precisa estar em constante busca por conhecimentos técnicos e pessoais. Ou seja, ele deve estar sempre em evolução.

Atribuições Profissionais do Psicólogo no Brasil

Contribuição do Conselho Federal de Psicologia ao Ministério do Trabalho para integrar o catálogo brasileiro de ocupações.

A Psicologia procede ao estudo e análise dos processos intrapessoais e das relações interpessoais.

Por isso, possibilita a compreensão do comportamento humano individual e de grupo, no âmbito das instituições de várias naturezas.

Aplica conhecimento teórico e técnico da psicologia, com o objetivo de identificar e intervir nos fatores determinantes das ações e dos sujeitos, em sua história pessoal.

O psicólogo, dentro de suas especificidades profissionais, atua no âmbito da educação; saúde; lazer; trabalho; segurança; justiça; comunidades e comunicação.

Além disso, contribui para a produção do conhecimento científico da Psicologia através da observação, descrição e análise dos processos de desenvolvimento e outros aspectos do comportamento humano.

Atua na área específica da saúde, colaborando para a compreensão dos processos intra e interpessoais.

Para isso, o enfoque pode ser ou preventivo ou curativo, ou isoladamente ou em equipe multiprofissional em instituições formais e informais.

O psicólogo clínico

De acordo com as atribuições definidas pelo Ministério do Trabalho para o psicólogo:  

  1. Realiza avaliação e diagnóstico psicológicos por meio da observação;
  2. Realiza atendimento psicoterapêutico individual ou em grupo, adequado às diversas faixas etárias, em instituições de prestação de serviços de saúde;
  3. Realiza atendimento familiar e/ou de casal para orientação ou acompanhamento psicoterapêutico;
  4. Realiza atendimento a crianças com problemas emocionais, psicomotores e psicopedagógico;
  5. Trabalha em situações de agravamento físico e emocional;
  6. Participa da elaboração de programas de pesquisa sobre a saúde mental da população. Bem como sobre a adequação das estratégias diagnosticas e terapêuticas a realidade psicossocial;
  7. Participa e acompanha a elaboração de programas educativos e de treinamento em saúde mental;
  8. Colabora, em equipe multiprofissional, no planejamento das políticas de saúde, em nível de macro e micro-sistemas.
  9. Realiza pesquisas visando a construção e a ampliação do conhecimento teórico e aplicado, no campo da saúde mental.
  10. Participa de programas de atenção primária em Centros e Postos de Saúde ou na comunidade.

Afinal, quais são as características essenciais em um bom psicólogo?

Habilidade verbal

A habilidade de interagir com as pessoas é fundamental para o exercício da profissão de psicólogo.

Aliás, esse é talvez um dos maiores desafios que os psicólogos enfrentam na prática diária. Especialmente, caso, ainda não possua anos de bagagem.

Saber como transportar todos os conhecimentos teóricos aos casos reais nem sempre é simples.

Portanto, é imprescindível dominar certas habilidades de comunicação e apresentar amplo repertório de habilidade sociais para ser um bom psicólogo.

Aprender a se relacionar e interagir com as pessoas diferentes com experiências, valores e culturas diferentes é qualidade fundamental.

Vale dizer que a comunicação é fundamental em qualquer âmbito social. Contudo, especialmente para o psicólogo, o princípio número 1 da comunicação é saber ouvir.

Assim sendo, saber ouvir quer dizer estar disposto e atento aos comentários do paciente.

Porque é ouvindo que o psicólogo coleta os dados que servirão como base para o planejamento de sua intervenção.

Mas, após ouvir, é também importante saber praticar a escuta ativa, dar feedback, fazer considerações, dar explicações teóricas na linguagem do outro, comunicar sentimentos a partir do relato do outro, confrontar quando for necessário e valorizar o outro por meio verbal.

Habilidade empática e acolhimento

Empatia  é a capacidade psicológica de sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação.

Dessa forma, empatia consiste em tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo.

Além disso, influencia na capacidade de se relacionar, estabelecer uma conexão saudável com o outro.

É importante que o psicólogo saiba se colocar no lugar dos pacientes com quem interaja em sessões de psicoterapia.

Por isso, é preciso contar com os mecanismos e as estratégias especiais para compreender quais são os problemas, medos, as necessidades e as particularidades das circunstâncias de cada paciente.

Apenas quando alcançar esse entendimento, o profissional vai entender como abordar o caso e como pode ajudar.

Ter empatia pelo cliente, conseguir sentir o que ele sente em algum grau, auxilia consideravelmente nos efeitos positivos da psicoterapia.

Porque, além de aumentar o grau de entendimento do que o paciente diz, também auxilia no planejamento da intervenção, no sentido de imprimir intervenções na velocidade adequada ao paciente.

Formação acadêmica, conhecimento técnico-científico

Para o exercício dessa profissão, aprofundar o estudo na abordagem teórica que orienta o trabalho técnico do psicólogo é imprescindível.

Ter uma formação pessoal ampla e buscar conhecer as abordagens teórico-filosóficas disponíveis prepara um profissional mais “rico” e mais apto a fazer seguras escolhas na carreira.

Dessa forma, entende-se que é importante entrar em contato com diferentes abordagens durante a fase de graduação no curso de Psicologia, assim como conhecer diversas técnicas para identificar modelos mais consistentes de intervenção e poder eleger focos de estudo mais direcionados àquilo que revela uma Psicologia Baseada em Evidências Empíricas.

A apropriação de abordagem teórica fundamentada e o domínio do manejo da técnica validadas cientificamente são fundamentais para sustentação de uma boa prática profissional.

Assim sendo, é fundamental ser capaz de interpretar e sintetizar os elementos mais importantes do que o paciente diz à luz de conhecimento teórico-conceitual e de “ferramentas” de intervenção que contem com evidências empíricas de eficácia.

A integração do que o cliente descreve com o conhecimento teórico do psicólogo fornece as bases para o planejamento da intervenção.

O código de ética dos profissionais de psicologia

Conforme o Código de Ética Profissional dos psicólogos, este profissional deve ser: sincero, prudente e deve garantir a solidez da fundamentação objetiva e científica das suas intervenções.

Princípios fundamentais:

  1. O psicólogo baseará o seu trabalho no respeito e na promoção da liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade do ser humano, apoiado nos valores que embasam a Declaração Universal dos Direitos Humanos;
  2. O psicólogo trabalhará visando promover a saúde e a qualidade de vida das pessoas e das coletividades;
  3. O psicólogo atuará com responsabilidade social, analisando crítica e historicamente a realidade social;
  4. O psicólogo atuará por meio do contínuo aprimoramento profissional;
  5. O psicólogo contribuirá para promover a universalização do acesso da população ao conhecimento da ciência psicológica;
  6. O psicólogo zelará para que o exercício profissional seja efetuado rejeitando situações em que a Psicologia esteja sendo aviltada;
  7. O psicólogo considerará as relações de poder nos contextos em que atua e os impactos dessas relações sobre as suas atividades profissionais, posicionando-se de forma crítica e em consonância com os demais princípios deste Código;

A relação do psicólogo com o paciente

Para o pleno exercício do processo terapêutico, é necessária a criação de um ambiente confortável.

Para que, o paciente sinta-se a vontade para expressar livremente seus anseios pessoais.

O processo da Psicologia é baseado no diálogo. E, por isso, psicólogo e paciente se influenciam reciprocamente, existindo um mútuo aprendizado.

Assim sendo, quando essa relação surge em condições ideias de comunicação assertiva; ambiente empático; profissional com formação acadêmica adequada e de forma que as instruções éticas sejam seguidas; ocorrerá a construção de um vínculo terapêutico.

E, dessa forma, paciente e psicólogo alcançarão sucesso no tratamento psicológico.

O Inpa

O Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Brasília oferece psicoterapia individual, além de outros serviços na área clínica da Psicologia. Fique à vontade para nos contatar e marcar uma consulta. Fone: (61) 3242-1153

Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada, Asa Sul, Brasília – DF, Brasil

Share

Comente!





× Quer agendar a sua consulta?